Porque presentear com Serenata torna um momento inesquecível

Segundo Carol L. Krumhansl, psicóloga musical, professora de psicologia da Universidade de Cornell, “a música transmitida de geração em geração forma as nossas memórias autobiográficas, preferências e reações emocionais”, um fenômeno chamado de “choque de reminiscências”. Ela nos consola, anima, marca momentos especiais e favorece a criação de laços. Mas não são apenas nossos sentimentos que são tocados pelos sons. Nossas experiências sensitivas também. O ritmo tem o poder de mudar muitas características como batimentos cardíacos, pressão sanguínea, pressão arterial e a velocidade do metabolismo. A música entra em contato diretamente com nosso sistema límbico cerebral, mesma região das emoções e afetividade. Ela pode até contribuir na produção da endorfina, que é nosso analgésico interno, considerado o hormônio do prazer; e a serotonina, que possui funções diversas, como a regulação do sono e do apetite. Acessam também nosso hipocampo, que é a área do cérebro responsável por nossas memórias. Quando você ouve uma música que marcou sua vida e lembra automaticamente daqueles tempos, é seu hipocampo quem está falando. A produção e liberação de dopamina (que está envolvida no controle de movimentos, aprendizado, humor, emoções, cognição e memória) e da noradrenalina (que influencia o humor, a ansiedade, o sono e a alimentação) também é ativada quando ouvimos determinados ritmos.

Portanto, desfrute e aproveite ao máximo o poderoso efeito da música em sua vida. Como disse Nietzsche, “sem a música a vida seria um erro”.

H i s t ó r i a

© 2017 por Dáfnis